terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Falando de Amor..

Dizia um ditado popular que onde se ganha o pão, não se come a carne.
Utilizei o verbo (dizia) no passado porque atualmente este ditado está mais do que ultrapassado, já que para a grande maioria dos profissionais de RH e psicólogos, o namoro no ambiente de trabalho gera vários benefícios como o  aumento da autoestima, energia positiva inclusive para estimular a criatividade, o trabalho em equipe e aumento da produtividade.

O amor é lindo, mas sabemos que nem só de felicidade e harmonia vive um relacionamento. Como então administrar brigas, desentendimentos ou ciúmes no ambiente de trabalho? Outro ditado bastante conhecido, mas que não está desatualizado diz que roupa suja se lava em casa e neste contexto, é necessário controlar as emoções no ambiente de trabalho, deixando outros assuntos para serem resolvidos em local neutro. Mas será que é realmente possível qualquer pessoa apaixonada conseguir seguir este ditado? Na teoria tudo é muito fácil, mas quando se vive a situação, nem sempre.

Muitas dos problemas podem começar na fase de paquera quando os envolvidos se distraem, trocam e-mails com mensagens particulares ou passam a se ausentar do posto de trabalho com mais frequência, com o objetivo de encontrar a outra pessoa nos corredores ou no café.
Conheci uma excelente profissional que começou a namorar um dos gerentes e quando finalizou o relacionamento, o clima no trabalho ficou tão desgastante para ambos que ela pediu demissão, interrompendo uma carreira promissora na empresa. Também  conheci outro casal que iniciou o namoro no ambiente de trabalho e hoje, casados, abriram sua própria empresa.

Eu poderia finalizar este artigo escrevendo as 5 regras ou os 10 cuidados para quem quer manter um relacionamento no trabalho, como é de praxe, mas acho inútil porque o que vale é o bom senso, maturidade e o profissionalismo.


E você? O que acha do namoro em ambiente de trabalho?