quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Vendas, Corruptos e Corruptores



Se você fosse um comprador, qual a sua reação se recebesse, através de uma rede social, a seguinte abordagem de vendas? E se fosse vendedor, ofereceria uma “bonificação gratificante” para fechar suas metas de vendas?


Eu não consigo ler um jornal, seja impresso ou on line, sem me deparar com pelo menos uma notícia de corrupção todos os dias. Quanto mais e mexe, mais corrupção prolifera.. E ela está em todos os setores, em todos os partidos, ninguém esta limpo.
Você, ao  ler este último parágrafo deve ter ficado revoltado, ao lembrar das últimas notícias que leu, mas acalme-se, pois não é sobre corrupção na política que estou escrevendo, vamos falar daquela corrupção que as pessoas estão enxergando como algo normal, inofensivo ou até necessário...

No exemplo da figura acima, (compartilhado por um comprador pleno que se sentiu extremamente ofendido) ao oferecer uma “bonificação bem gratificante” sem nenhum constrangimento ou meias palavras, o vendedor impede a livre concorrência, sabota a competitividade, e quem sabe até deteriora a qualidade, pois se é necessario pagar para vender, quem garante que esse produto é bom? Ops...mas como assim pagar para vender?
Se uma empresa oferece  a “bonificação gratificante” para vender seus produtos, afinal de onde sai este valor que será transferido para o corruptor? Da comissão do vendedor? de um aumento no valor do produto/serviço, já prevendo este gasto? O filósofo David Hume foi o primeiro a afirmar o óbvio: a maioria das pessoas busca, através dos seus atos, a satisfação dos seus próprios interesses, então a corrupção nada mais é do que a disseminação do individualismo, o que inclusive atrapalha a economia e o mercado.

Mas não acaba por ai não..Como se não bastassem essas consequências, este tipo de atitude torna os empresários reféns de um ciclo que não se interrompe, inclusive tende a aumentar como uma droga.

A corrupção existe por causa dos corruptores?

Preparei um meme para postar no LinkedIn sobre o ato de oferecer bola no processo de vendas  e minha surpresa foi que muitos vendedores se colocaram como vitimas desta prática com argumentações como: “Se não oferecemos, não conseguimos vender” ou “Se não entra na jogada, estamos fora do mercado..”
Mas o que aconteceria se ninguém aceitasse este tipo de imposição? E se o comprador acostumado a receber suborno ouvisse repetidamente não, não, não, não? O que ele faria? Deixaria de comprar um produto, muitas vezes essencial para uma produção ou mudaria sua postura?

  
Corrupção por conveniência?

Me perguntei, após esta experiência com o meme, se as pessoas realmente querem acabar com a corrupção no nosso país, querem realmente mais ética em todos os setores ou somente quando lhes convém. Quem está disposto realmente a fazer negócios com ética e quem acha que vale tudo e que se não aceitar ou oferecer corre risco de ir a falência?

Conclusão


Não existe uma conclusão, mas conclusões pessoais sobre o assunto que deixo para cada um refletir individualmente.