domingo, 20 de julho de 2014

A Linguagem Corporal e a Política



Como a Linguagem Corporal pode fazer a diferença na comunicação


Em 1960 Nixon e Kennedy, candidatos a presidência dos EUA, participaram do primeiro debate televisionado. Nixon não se preocupou com sua aparência, estava cansado da campanha que fez naquele mesmo dia e isso refletiu no seu desempenho. No início do debate, ainda sentado, Nixon tinha uma postura de "pronto para correr", uma postura de quem não está a vontade, enquanto Kennedy parecia bem relaxado e  tranquilo. 


Durante as respostas, Nixon apareceu suando e desconfortável. Kennedy, ao contrário, mostrou-se confiante e durante todo tempo, além de ser mais eloquente do que Nixon.  Os eleitores que assistiram pela televisão acreditaram que Kennedy teve vantagens sobre Nixon, enquanto os ouvintes de rádio acreditaram que Nixon tinha vencido. Após esse primeiro debate, ficou claro que as imagens que as pessoas veem influenciam no seu julgamento. Nixon se conscientizou da importância da aparência e postura, já os marqueteiros americanos começaram a estudar formas de melhorar o desempenho de seus candidatos através do estudo da Linguagem Corporal.
Hoje, todos eles acreditam que um gesto ou a ausência dele pode ser comentado por semanas, mudando até a opinião pública sobre o caráter de uma pessoa. 
Observe o vídeo abaixo:



O fato de Obama cumprimentar o guarda e de Gordon não cumprimentar foi mostrado e discutido durante semanas pela BBC, New York Times entre outras mídias, criando uma imagem de simpatia para um, enquanto de antipatia e preconceito para o outro.

A Linguagem Corporal na política passou a ter um peso tão grande que muitas vezes políticos brigam para sair em uma posição de vantagem frente ás câmeras, como no encontro entre Clinton, Ehud Barak e Arafat. Eles queriam entrar por último porque existe a percepção de que um líder ou quem está em posição de superioridade, encaminha os demais.


Mas será que todo sentimento pode ser dissimulado? Políticos podem mesmo enganar a todos com suas técnicas de Linguagem Corporal?


Não. Os sentimentos não podem ser totalmente disfarçados porque a Linguagem Corporal é inconsciente.  O candidato ou qualquer pessoa pode ensaiar, pode até aprender  como usar gestos e posturas mais convincentes, melhorar a comunicação, e outros não conseguem evitar os gestos negativos.
A presidente Dilma costuma fazer declarações com o dedo em riste, um gesto de autoritarismo, o que realmente marca a sua personalidade. O ex prefeito José Serra, apesar de se considerar aberto ao diálogo, mostra com sua postura e gestos, uma pessoa fechada e centralizadora em quase todas as entrevistas. 

Observe a entrevista de  Aécio Neves no Programa Canal Livre:



Para o público em geral, ele pareceu bem convincente, não usou gestos nervosos, agressivos, seus movimentos acompanharam as palavras, porém com um olhar mais atento e conhecimento em Linguagem Corporal, Aécio não conseguiu disfarçar seus verdadeiros sentimentos. 

As palmas das mãos justapostas, têm a intenção de convencer ou reforçar uma declaração.

A boca para baixo, segundo as pesquisas de Paul Ekman, sem outros sinais de tristeza, é uma expressão de descrença ou negação. As mãos e um leve levantar de ombro confirmam isso. 


Em outro momento, enquanto fala "Eu não temo qualquer investigação..", ele faz um gesto de afastar ou tirar algo de perto, ou seja, mostra medo de algo. Óbvio, pois uma investigação no seu partido não é interessante para a sua campanha.





Não podemos dissimular totalmente e nem determinar 100% a impressão que causamos nos outros, mas podemos melhorar as chances de parecer simpático e competente em uma primeira reunião de vendas, por exemplo, para assim ter a oportunidade de continuar negociando.

Eu tenho que aprender a enganar os outros com a Linguagem Corporal?

Se a postura corporal reflete o que você sente ou é, a mudança da postura também vai refletir no seu estado de de ânimo e sentimentos, segundo a psicóloga e especialista Amy Cudday. 

"A linguagem corporal influencia o modo como os outros nos veem, mas pode também mudar a forma como nos vemos. Assumir uma postura confiante, mesmo quando não nos sentimos confiantes — pode afetar os níveis de testosterona e cortisol do nosso cérebro, e pode mesmo ter impacto nas nossas hipóteses de sucesso."
Faça um teste! Abaixe a cabeça encolha os ombros que você vai sentir desânimo e em seguida levante a cabeça, coloque as mãos na cintura e perceba como muda seus sentimentos, sua sensação!

Quando falamos em Linguagem Corporal, falamos em comunicação e comunicação é a interação entre pessoas. O que o teu corpo está me dizendo? O que o meu corpo está comunicando a você?
Não só para analisar e compreender o outro, mas também para compreender como os outros podem nos ver, ou o que estamos transmitindo é o objetivo do estudo da Linguagem Corporal. Como no vídeo do Obama, ninguém quer transmitir uma imagem negativa se puder escolher!

Quando você conhece uma pessoa ela faz um "scanner" e em 15 segundos avalia se você é inteligente, confiável, simpático ou competente. Mudar essa primeira impressão é bastante complicado. Pense nisso na próxima reunião de vendas, entrevista de emprego, reunião de equipes ou quando quiser conquistar uma pessoa.

Fica a dica e sucesso!

Este artigo não tem a intenção política partidária e muito menos gerar discussões a respeito da integridade deste ou daquele candidato, mas sim a discussão sobre o que o teu corpo pode comunicar.